Linhas de um braço remoto

Hoje tive uma visão com a Lua.

Ela me trouxe memorias de um tempo que o branco não existia,

e de pessoas que eram como ilhas distantes no Pacifico.

A Lua com quem conversei trouxe notícias de sua morte,

uma sem explicação aparente, fato obstante de minhas memorias

que entravam numa espiral de relembranças de tempos mais dourados.

Vazio intenso esse que surgiu,

fez de mim como dinamite sem pavio

e logo se lançou ao ar, pasmo

Sua mente de longe tinha lagrimas a destinar

À Celina, a menina de mil e uma noites.

A Celina, a garota de nosso luar.

Mas logo sinto esse placebo que auto injetei,

e percebo que nada mais sei sobre o ser

a quem hoje eu levantei,

com dores,

clamores

e temores.

Placebo esse que ontem assolou,

e hoje me deixou. Celina, seu luar

Nunca me deixará,

tanto quanto nunca se apagou.

Incrível, como sem mesmo uma palavra

sua imagem, uma primitiva força ergueu.

Surgem perguntas na minha cabeça novamente,

eu ou você, quem verá a realidade primeiro?

E quem olhará a visage do outro nesta realidade remota?

Perguntas como essa me mantém forte,

e me guiam futuramente a você.

Embora aparentemos viver separadamente um do outro,

temos um laço que conecta todos nós.

E algum dia sei que vou te ver,

mesmo que tenha que furar meu pulmão mais uma ou duas vezes.

Esse fluxo de consciencia que tive hoje durante minha viagem ao diagnostico benéfico de não ter um furo em meu pulmão com esse meu recente caso de dor peitoral, me deixou animado mas teve suas repercussões psiquicas e psicológicas na hora de misturar memorias com músicas de alto apelo emocional.

Questiono se faz sentido ou não a analise do zeitgeist presente e escolha de ramos dessa nossa linha do tempo futura a partir de conexões passadas, mas logo me lembro de uma conversa que tive com a Isabel mostrando a ela como essas conexões passadas não são somente com as pessoas de seu passado, mas sim com você mesmo e elas te dão uma segunda chance de questionar o seu ego presente, e de fazer escolhas mais consciente de acordo com as suas vontades.

Quais são as nossas vontades? Eu sei que eu tenho algumas, e sei como quero faze-las surgirem mas até agora não consigo uma resposta direta de alguém, as pessoas diante de uma miríade de escolhas a sua frente, tendem a evitar decisões que fechem sem escopo de atuação.

Mas porque hesitar numa escolha, quando ela não limita a quantidade de caminhos a qual você pode tomar pra alcança-la?

Essa eu pergunto pra vocês. Qual é a vontade de suas vidas? Como vocês querem alcança-las?

Nâo tenham medo da resposta, ela é só o caminho pra outra pergunta. Espero que a Bel saiba disso.

Beijos C algum dia nos vemos,

Pedro Norberto/Unkz/???

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s