Remind

I’ve learned how hard it gets to let go of things. 

However, what bothers me is the way I did so. 

In the process of doing so I became… unattached. It’s become hard to attach to someone else. Not that I don’t, but it certainly has become harder to do so. 

My mind has unlearned the ways of relating to others, such in a way I find myself to have become once more, lonely. 

Yes, I’m lonely. 

But weirdly enough, 

that’s what I wish for, 

while at the same time, 

what I don’t. 

So it’s decided, I’ve always been twisted like this, haven’t I? 

Even when I was around you guys.

Amazing how being distant to people does that to us, but if anything, I was very close to you. 

That’s the harder thing to process. 

Why, even if we had such good times together I had such a hard time involving myself with all of you? 

One part of it was culture, but I managed to skip that over. I’d watch and listen what you had. And we’d have some weird moments whenever I brought forth some of our references, and so many precocious Brazilian Memes. 

I was probably like this the whole time. 

Looking back now, we just didn’t give a shit. That’s the problem isn’t it? Thinking too much? 

I just need to go and do it.

Even if it places me into uncomfortable situations.

I mean that’s how I met all of you, didn’t I? 

Thanks for the good times. 

… Or like godbedamned fall out boy would say it:thanksfthemmrs.

Oh fuck, kill me please HAHAHAHAHAHAHAHA. 

Unkz. 

Advertisements

Manifesto do Transcendental Prático

A prática e teoria alternam entre si, e como tal, introspecção e extrospecção na minha pessoa. Eu me sinto estagnado, e com isso formulo a mudança. 

1.A busca de uma linguagem, não é unica. A proficiência em equipamentos não é equivalência do desenvolver os meios de expressão.

2. A realidade que temos que lidar com noções além das auto construídas. Embora ainda tenhamos que notar como. 

3.Renovar renovar e renovar. A licença pra se reinventar é entusiasmante. E neste ano, caminhamos em direção a isto, agora é leva-lo a níveis mais intensos. 

Viva e conte. A história de cem sois. 

Pedro/Unkz

Damn it, I’m a living mess.

I’ve yet to notice whether or not it brings me to a point of change.

You know I’m just walking around like usual, trying to make amends

And she just had to show up didn’t she.

Jesus, what is the matter with me? Running away from people?

I know I do have my wishes to be alone sometimes, but why the hell

does it always have to be like this with parties?

Eda actually showed me, why is it so easy for me to bond with her

and so hard to bond with those around me that matter  A LOT?

This dipping, and attempting to go and just not going for it.

I’m wondering whether I went crazy or not. Because from outside

I’m pretty sure I’d find myself to be nuts.

Well fuck me. I’m quite frustrated at myself right now, so whomever

sees this and knows who the fuck I am, please buzz me. I’d probably

have a couple of words spared for anyone who does.

Love,

Unkz.

Cela, une vie qui n’ai pas du temps d’être laissé. 

Un jeune qui n’avait d’acces aux reaux de lui même

Des échos de vivacité que courent a l’interieur,

Vouloir qu’il soit qui et quoi lui pense qu’il est. 

Ne brise pas l’exterieur. 

N’oublie tout ce que te cerque.

Cette raison pour être passive, n’ait RIEN pour nous aidez au moment. Maintien l’animosite. 

Ao todo três variantes.

Três entidades.

Três seres pensantes.

Em um que de dualidade,

Puxam-me de um lado ao outro.

Calmo, explosivo

Temperamental,

Reflexivo.

Lido com partes de mim,

que não tem a quem recorrer.

Eu e eu mesmo,

sou eu quem devo saber.

Sei do quê? Sei de quem?

eu entrei numa espiral,

e não sei aonde vai acabar

Contradigo o que penso

com minhas palavras.

Contradigo o que faço

com meus pensamentos.

Contradigo o que sou

com minhas alternativas.

Contradigo o que fui

com que eu sou.

eu entrei numa espiral,

e não sei aonde vai acabar

Partes e peças vem e vão,

neste bolo e neste redemoinho

de fragmentos que determinam:

a virtualidade do eu.

Não consigo ver adiante desta espiral,

não tão claramente quanto antes.

eu entrei numa espiral

e não sei aonde vai acabar

Sim, virtual. Eu não existo?

Existo temporariamente, existo vagante.

Existo flutuante, existo circundante.

Portanto virtual, mas existo.

E físico? É dejeto.

É resultante.

É passado?

eu entrei numa espiral e não sei

aonde irá acabar.

Dicotomia do ser, dualidade de pensar

Venho de um episódio em que meu outro eu pede por enclausuramento. Fuga da exposição, estranhamente um dia após a consulta com a psicanalista.  O tópico era o caminho pra atingir METAFALICA, seguiria só, ou com outras pessoas? Quem são elas?

Multiplico a intensidade desta confissão com uma vontade imensurável de entender o surgimento desta mensagem.

Qual o medo das pessoas de se sentirem expostas?  Descobri isso ao me expor nu diante de centenas de pessoas por dois anos, mas compreendo que é nudez corporal.

Como me sentiria com nudez comportamental? Emocional? Processual, Intelectual?

Junte isto com o fato de que sentia o vazio existencial como uma angústia que me empurrava diante desta.. disputa.

A disputa entre Pedro e Unkz.

Fico imaginando de qual das partes surgiu essa mensagem do titulo do post, que está presente no relato de sonhos da quinta passada.

Você, que lê isso, tem algo ou alguém pra se esconder de?

Falta tempo, falta gente, falta eu, pra conversar isso com alguem.

A nostalgia corre as veias e demonstra esperanças carregadas até hoje. Latentes, na alma colérica.

Eu, Pedro e Unkz tenho esse destino a cumprir.  Essas vontades a saciar.

O salto de cultura deve ser reiniciado.